Sou formado no exterior, posso prestar concurso público?

Tempo de leitura: 5 minutos

Conforme os anos vão passando e a economia do país mostra prospectos cada vez menos agradáveis, a expectativa do empregado pela iniciativa privada vem se mostrando cada vez menos animadora, não é mesmo?

Com as empresas precisando cortar custos para sobreviver em um mercado cada vez mais competitivo e difícil de se manter, os assaliriados se deparam com salários menores, mais horas extra, remanejos em setores e a constante apreensão de que podem ser mandados embora, não porque não antendiam às expectativas de seus chefes, mas porque a empresa precisa de um reajuste financeiro.

Dentre outros fatores, este tem sido um grande atraente para aqueles que vêm buscando se afastar da iniciativa pública, procurando pela estabilidade empregática e a garantia de um salário elevado e um horário de trabalho justo que a inciativa pública pode garantir.

No entanto, para quem estava se preparando para ficar sempre na iniciativa privada, surgem algumas dúvidas incomuns quanto à validade de sua formação profissional na iniciativa pública. Isso vale para quem ingressou em cursos não verificados pelo MEC, é autodidata, e principalmente quem, para ter um currículo de destaque, escolheu cursar o ensino superior no exterior.

A importância de ler o edital do concurso público

Os requerimentos mínimos para adentrar uma vaga de iniciativa pública variam dependendo da profissão selecionada. É possível que, para o concurso que você almeja, o seu diploma seja apenas um adendo de desempate, mas não um requerimento, e é justamente por isso que a leitura do edital de seu concurso é fundamental.

Antes mesmo disso, é possível, em certos momentos, identificar as exigências do concurso pela sua nomenclatura: concursos de nível médio exigem educação até o ensino médio, enquanto de nível superior exigem uma faculdade.

Caso seu curso seja, de fato, de nível superior, é importante também verificar se seu curso corresponde a algum dos exigidos no edital como requerimento. Por exemplo, você não poderá passar em um curso de Juiz Federal com um diploma de marketing. Enquanto isso pode parecer óbvio nesse exemplo, nem sempre as exigências são tão claras assim, e é justamente por isso que não se pode dispensar a leitura do edital.

Valide seu diploma

Caso você já tenha verificado que seu diploma atende àquilo que é pedido no curso e de que é imprescindível que o tenha para prestar e ser aprovado, é importante se identificar que seu diploma tirado no exterior é reconhecido em território brasileiro.

Assim como qualquer título conseguido no exterior, a documentação de seu diploma deve passar por um processo de validação, e é importante que você saiba disso antes de retornar de sua viagem, porque o primeiro passo deverá ser expedir uma homologação no país onde o diploma foi emitido. Listaremos os passos mais detalhadamente abaixo

Primeiro passo: homologação de seu diploma pelo consulado brasileiro

O ideal é que, assim que você tire o diploma, você leve-o para ser homologado no consulado ou embaixada brasileiras do país em que você recebeu o documento. No entanto, se você não está mais no país de escolha e se esqueceu de fazer isso, ou simplesmente não sabia, pode pedir que alguem o faça para você.

Segundo passo: reunir documentos de formação

Novamente, toda essa documentação deve ser reconhecida pelo consulado ou embaixada brasileira do país em que você se formou. Para poder validar seu diploma, é preciso que você tenha consigo, devidamente homologados:

  • Histórico escolar do curso
  • Grade de horários
  • Diploma

Terceiro passo: encontrar uma faculdade equivalente para iniciar a ação

Assim que você tem em mãos todos estes documentos, é preciso encontrar uma instituição pública que ofereça um curso equivalente, com carga horária e matérias correspondentes. Esta instutuição irá, então, analisar sua situação, e, se as disciplinas e carga horária coincidirem, irá validá-lo.

Caso a carga horária não bata ou falte alguma matéria, a instituição pode pedir alguma atividade complementar como compensação, então não deixe nada para cima da hora. É importante também considerar que este processo pode levar tempo, então faça-o o quão antes possível

Quarto passo: pague a taxa

Infelizmente, além da burocracia, atualmente, no Brasil, um dos grandes impecilhos de validar o diploma obtido no exterior é que há uma taxa cobrada, e o valor tende a ser elevado, e embora o valor seja de geralmente cerca de mil reais, isso depende do curso e da instituição selecionada, e pode ir muito além disso.

E, se você quer prestar concurso, isto pode ser uma péssima notícia, porque será preciso ainda somar este valor com o valor de sua inscrição. Por isso mesmo que é importante se preparar e validar seu diploma o quanto antes.

Meu diploma já está validado

Depois que você cumpriu todos os passos listados acima, seu diploma passa a ser aceito em território nacional de maneira equivalente ao curso que selecionou na universidade que o validou. Isso te ajuda a ter o nome exato do curso em português na hora de verificar o edital e significa que ele será aceito em um concurso público. Problema resolvido!

É de suma importância, no entanto, sempre se garantir. Se você fez tudo da maneira correta, sempre guarde estes documentos. No momento de verificação do concurso, é de suma importância que seja notado que os documentos estão todos em dia, que seu curso de fato corresponde ao pedido, e que ele foi devidamente adequado.

Além disso, alguns concursos requerem a apresentação do histórico escolar, então guarde também toda a documentação utilizada no processo com a devida homologação.

Agora que seu diploma é válido em território brasileiro, não hesite em prestar concursos que exijam ensino superior! No entanto, não seja arrogante quanto a seu conhecimento: não é só porque você estudou fora, em uma boa universidade, que você tem uma vantagem para com os outros concurseiros! Estude, e muito, porque esta prova pode definir o futuro de sua carreira.

Afinal de contas, com tantas vantagens, você não vai querer desperdiçar esta oportunidade, não é mesmo? Se dedique, estude muito, e boa prova.

 

Sobre Concurseiro Paulista

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo site Concurseiro Paulista que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.