Lula, excelente opção para quem estuda para Concurso Público

Tempo de leitura: 6 minutos

A passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo cenário político brasileiro entrou, definitivamente, para a história no último sábado no dia 07 de abril, quando ele foi preso. 

Lula nasceu em Caetés, uma cidadezinha do agreste pernambucano, em 27 de outubro de 1945.  O ex-presidente é ex-metalúrgico, ex-sindicalista e é um político por vocação desde sempre. Filiado ao PT (Partido dos trabalhadores), após três derrotas consecutivas, ele se elegeu presidente em 2003 e se reelegeu em 2006, ficando no poder por 8 anos seguidos.   

De acordo com o Datafolha, Instituto de Pesquisa do grupo Folha, Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu obter recorde histórico de popularidade durante seu mandato.  Os programas sociais Bolsa família e o Fome Zero são marcas de seu governo, ambos reconhecidos pela Organização das Nações Unidas como os programas que viabilizaram a saída do país do mapa da fome mundial. 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu um papel de destaque na evolução recente das relações internacionais, incluindo o Programa Nuclear do Irã e a questão do Aquecimento Global. 

Embora o endividamento interno tenha crescido de 731 bilhões de reais em 2002 para um trilhão e cem bilhões de reais em dezembro de 2006, a proporção da dívida sobre o PIB (Produto Interno Bruto) diminuiu. E a dívida externa, simultaneamente, teve uma queda de 168 bilhões de reais.  

No setor econômico, a gestão do Governo Lula é caracterizada pela estabilidade econômica e pelo crescimento comercial.  O seu início de governo chegou a ser elogiado pelo presidente do FMI na época. 

Durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva houve geração de novos empregos em todo o país. Segundo o IBGE, de 2003 a 2006 a taxa de desemprego caiu e o número de pessoas contratadas com carteira assinada cresceu mais de 985 mil, enquanto o total de empregos sem carteira assinada diminuiu 3,1%. Já o total de pessoas ocupadas cresceu 8,6% no período de 2003 a 2006. 

Como a questão econômica acabou se tornando a maior pauta do governo. O crescimento na demanda de concursos públicos também aumentou, contribuindo ativamente para a economia do país. 

Ao fim de seu governo, a popularidade de Luiz Inácio Lula da Silva era maior do que a que possuía ao ser eleito. Um feito raro que ocorreu com poucos presidentes nas democracias do mundo. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, divulgada no dia 17 de Dezembro de 2006, mostrou que 52% consideravam seu governo ótimo ou bom. 

Toda a carreira política do ex-presidente foi polêmica, assim como as relações políticas do governo Lula com a oposição e a mídia que sempre foram conturbadas. No ano de 2004 o governo chegou a pensar em expulsar do país o jornalista americano Larry Rohter, do jornal The New York Times, por que ele havia escrito uma reportagem sobre a propensão ao alcoolismo de Luiz Inácio Lula da Silva, mas a decisão foi revogada depois de uma retratação por escrito do repórter.  

Eleito presidente com uma bancada minoritária, formada pelo PT, PSB, PCB, PCdoB e PL, Lula buscou formar alianças com diversos partidos, inclusive com alguns situados mais à direita no espectro político brasileiro. Conseguiu apoio do PP, PTB e parcela do PMDB, às custas de dividir com estes o poder. Após dois anos de governo mantendo maioria no congresso, o que facilitava a aprovação de projetos de interesse do executivo, uma disputa interna de poder entre os partidos aliados (PT, PSB, PCdoB, PL, PP, PTB) resultou no escândalo do mensalão. Desde então, uma sucessão de inúmeros escândalos vieram à tona e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornou réu de sete ações penais, dentre estas, três são da Operação Lava Jato.  Em 12 de julho de 2017, começava a queda de Lula quando ele foi condenado em primeira instância a nove anos e seis meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro. Foi a primeira vez na história do Brasil que um ex-presidente foi condenado criminalmente. 

Em 24 de janeiro de 2018, O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado em segunda instância num julgamento que recebeu atenção internacional. A sentença foi unânime entre os três desembargadores da 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), em favor de manter a condenação anterior e ainda ampliar a pena de prisão do ex-presidente Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). Os desembargadores decidiram ampliar a pena para doze anos e um mês de prisão, com início em regime fechado. O cumprimento da pena se iniciaria após o esgotamento de recursos que fossem possíveis no âmbito do próprio TRF-4. Mesmo condenado, Luiz Inácio Lula da Silva não perdeu imediatamente o direito de se candidatar nas eleições de 2018.  A defesa de Lula requisitou habeas corpus preventivo no STJ, onde foi rejeitado por unanimidade, e ao STF, onde também foi rejeitado o habeas corpus preventivo por 6 votos dos ministros contra e 5 a favor.  

No dia 5 de abril o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve a prisão decretada pela justiça e foi preso no dia 7 após se entregar à Polícia Federal.  

Desde quando se iniciou essa avalanche de escândalos envolvendo o ex-presidente e tantos outros integrantes do seu partido político, que uma onda de medo vem assolando os concurseiros de todo o país. 

Já há uma enorme expectativa em torno desse ano de 2018 por ser ano de eleições presidenciais. E os concurseiros estão atentos a todas as tomadas de decisões que possam favorecer a viabilidade de criação de mais concursos públicos e processos seletivos. 

Pois os concurseiros de plantão sabem o quanto um governo estável, cujo consegue o apoio do Supremo, pode contribuir com o lançamento constante de novas oportunidades de concursos, como foi na época do mandato do ex-presidente Lula 

Como dissemos no decorrer desse texto, o ex-presidente já havia entrado para a história pelos inúmeros feitos políticos. No entanto, agora sua trajetória foi marcada pela sua prisão do primeiro ex-presidente condenado por corrupção. 

Fiquem atentos concurseiros, pois o cenário político é de extrema relevância para a vida de quem quer prestar concursos públicos! 

Sobre Concurseiro Paulista

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo site Concurseiro Paulista que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *