Fui aprovado no concurso público! E agora?

Tempo de leitura: 6 minutos

Você estudou durante grande parte de seus dias. Em algumas situações, teve que conciliar trabalho e estudo, além de outras responsabilidades e práticas do dia a dia. Investiu na realização pessoal, no objetivo de conseguir preencher o cargo público que tanto queria. Gastou com apostilas, livros e cursos para a capacitação.

Essa rotina, muitas vezes, árdua e exigente que uma série de candidatos se submete a partir do momento que conhecem os editais propostos por alguns órgãos públicos. Depois desse momento tudo vira uma correria e se resume a passar no processo, em ser uma das pessoas agraciadas com as vagas.

Mas, e quando esse objetivo é alcançado? E no momento de colher os frutos desse período de dedicação e estudos? As pessoas sabem mesmo como proceder depois da aprovação em um concurso público? Muitas delas, sequer se atentam as documentações necessárias e quando são aprovadas intensificam ainda mais a correria dos últimos dias.

Evitando problemas com os prazos

Não há necessidade de enfrentar esse tipo de problema. Muitas vezes, ele decorre da falta de atenção dos candidatos. A relação de documentos que deve ser apresentada e as suas datas são previamente descritas nos editais dos concursos públicos. Basta que as pessoas o leiam integralmente e, principalmente, se atentem a essa informação.

Em muitos casos, a preocupação com a própria realização da prova é tão grande que as pessoas acabam deixando a documentação um pouco de lado.

Felizmente para muitos candidatos, com os avanços tecnológicos que temos hoje, se tornou possível que se faça a impressão de inúmeros documentos pela própria internet de forma gratuita e rápida. Imagine esse tipo de situação há algum tempo atrás em que esse tipo de tecnologia não estava disponível para os concursados.

O grande problema nesse tipo de situação é que depois de se apresentar os documentos, mesmo que os tenha conseguido pela internet com rapidez, e houver alguma pendência, haverá um tempo relativamente curto para que essas pessoas corram atrás dos documentos que faltam e deixem tudo regularizado.

Torna-se fundamental que todos os documentos já sejam reservados e preparados com antecedência. Dessa forma, o candidato não será surpreendido caso seja convocado. Separe os documentos e deixe-os guardados mesmo que eles estejam próximos da perda de validade. Pois, pode fazer a solicitação de documentos atualizados rapidamente.

Por fim, a documentação exigida pelos órgãos é fundamental e extremamente necessária para comprovar a situação dos candidatos. É preciso saber informações destes quanto à sua nacionalidade, idade, regularidade eleitoral, militar (para homens), escolaridade e bons antecedentes.

Os documentos necessários

Primeiramente, existirão alguns documentos básicos a serem mostrados. Àqueles que são de praxe em todos os processos e que comprovarão situações mais imediatas como a identidade, situação civil, idade e nacionalidade dos concursados.

Existem também as instituições que contratam por meio do regime de CLT. E nesses casos podem ser exigidos documentos inerentes as pessoas que trabalham em empresas privadas, é o caso da carteira de trabalho.

As pessoas, então deverão apresentar, quando solteiros, a sua certidão de nascimento e, quando casados, a sua certidão de casamento. Também devem ser apresentados o RG, o CPF, a carteira de trabalho (como já dito) e o cartão PIS/Pasep.

Para comprovar o seu nível de escolaridade, os concursados devem apresentar diferentes documentos, eles acabam variando de acordo com os cargos e suas respectivas exigências básicas.

Devem ser apresentados os certificados de formação no ensino fundamental e ensino médio em instituições que sejam devidamente reconhecidas pelo Ministério da Educação.

A apresentação de diploma de formação em curso superior que aceite os cursos de tecnólogo. E os diplomas de concursados formados em nível bacharelado ou licenciatura em que não é aceito o nível de tecnólogo. Ambas as situações exigem o reconhecimento do MEC.

Os concursados do sexo masculino precisam comprovar que a sua situação com o serviço militar obrigatório está em dia. Precisarão apresentar o certificado de alistamento e dispensa do serviço militar. Aqueles que serviram precisarão apresentar outro documento que comprove o cumprimento dos serviços.

O candidato também deve comprovar a sua situação eleitoral regular com a apresentação de seu título de leitor e o seu último comprovante de votação, podendo também apresentar a sua justificativa.

As pessoas que não conseguirem encontrar aquele minúsculo papel que comprova a votação, basta que vá até o TSE e peça a sua certidão de quitação eleitoral, pode ser, inclusive, emitida na internet. Se a pessoa não votou ou justificou na última eleição, precisará ir a um cartório eleitoral e pagar uma multa para ter acesso a certidão.

E para aqueles que já passaram dos 18 anos e ainda não têm título de eleitor, precisarão providenciar o mais rápido possível.

O concursado também terá de apresentar a sua certidão de antecedentes criminais dos últimos 5 anos e exames médicos que comprovem a sua plena capacidade física e mental para exercer um determinado cargo.

Direitos dos candidatos

Em meio aos direitos dos concursados, existem alguns fatores que merecem atenção, pautas que surgem recorrentemente na boca dos aprovados sempre que um novo certame chega ao fim. A principal delas diz respeito à expectativa de nomeação.

Isso, porque nenhuma instituição é obrigada a nomear um aprovado, embora esse tenha a expectativa de direito. Ou seja, o ente público que abriu o concurso estabelece um banco e os concursados aguardam o surgimento de novas vagas. Portanto, os administradores e futuros empregadores devem se submeter a ordem de classificação.

A administração do órgão não poderá abrir um novo concurso público para a avaliação de novos concorrentes, será preciso recorrer aos candidatos que já foram aprovados anteriormente e que ainda não foram nomeados. Muito menos poderão criar vínculos, mesmo que sejam temporários, com pessoas que não passaram por concurso público.

Outro dever da administração da instituição é contatar o concursado referente a homologação do resultado e convocação para atividade do ofício.

Pois, o ente público deve entrar em contato de alguma forma, imagine ter que ficar consultando o Diário Oficial todos os dias (situação ainda mais gritante quando se considera os que foram aprovados, mas não nomeados).

Sobre Blog Concursado

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo Blog Concursado que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.