Existem vagas que só podem ser ocupadas por homens?

Tempo de leitura: 6 minutos

No Brasil e no mundo, por muito tempo, as mulheres ficavam encarregadas de cuidarem dos serviços da casa, como cuidar dos filhos, comprar os alimentos e manter a casa em ordem. Mas nesse cenário quais eram as vagas que só podem ser ocupadas por homens?

Nesse cenário, era muito comum que a função de conseguir dinheiro para sustentar a casa era imposta ao homem. Sendo assim, quase todos os trabalhos remunerados eram majoritariamente ocupados por homens de todas as idades, podendo até mesmo ter como funcionários numa empresa, crianças que nem chegavam aos 10 anos de idade.

Sendo assim, com o passar dos anos, foi se criando o estereotipo de profissões com vagas que só podem ser ocupadas por homens, devido esse contexto histórico. Porém, com o passar dos anos, juntando também algumas revoluções na história esse cenário começou a mudar, inserindo as mulheres nas áreas de serviço.

Assim como há o estereotipo de vagas que só podem ser ocupadas por homens, a entrada das mulheres no mercado acabou criando-se outro estereotipo para profissões majoritariamente femininas, como os cargos de recepcionistas, cozinheiras, professoras, pedagogas e administradoras.

Esses cargos, de certa forma, remetem a antiga função da mulher para com o lar. Porém, com o passar do tempo, outro fenômeno veio a ocorrer. A migração das mulheres para vagas que só podem ser ocupadas por homens, quebrando assim a exclusividade deles sob esses cargos.

Vagas que só podem ser ocupadas por homens.

Antes, muitas das vagas que só podem ser ocupadas por homens remetiam à necessidade de exigir um maior preparo físico e força do candidato. Essas vagas se associavam ao antigo papel do homem nas tribos, de fornecer proteção às mulheres e crianças. Então, por muito tempo os cargos de Policiais eram exclusivamente para homens.

Nesse ponto, era exigido do candidato ao processo seletivo do cargo de Policial, que ele possuísse certo nível de gordura corporal, que pudesse fazer uma série de exercícios físicos sem demonstrar exaustão, possuir um raciocínio lógico, entre outras características que arremetiam ao um lado mais frio da personalidade.

Ainda nesse pensamento de proteção e servidão os exércitos eram montados com vagas que só podem ser ocupadas por homens, e o sistema de alistamento obrigatório só aumentava ainda mais a presença masculina nos esquadrões. Pois essa lei só se aplicava aos homens, deixando para as mulheres, como algo facultativo.

Outros cargos que eram majoritariamente ocupados por homens, eram o de bombeiros. Seguindo ainda os mesmo critérios de competências a serem provadas pelos policias, os bombeiros também possuíam vagas que só podem ser ocupadas por homens.

Vagas relacionadas a esportes também eram vagas que os homens costumavam ocupar como um todo. Como os cargos de professores de educação física, treinadores em academias ou mesmo treinadores de times de algum time que representasse algum esporte. Tanto que, mesmo hoje os homens ainda ocupam grande porcentagem das vagas disponíveis.

Outras vagas que os homens dominaram por anos a fio são as vagas relacionadas a conduções de veículos. Como o cargo de motorista de ônibus público. Em seus editais, muitas vezes eram vistos a exigência que o candidato fosse do sexo masculino. A vaga de maquinas de trens e metros também era dominada por homens.

Ainda na área de condutores, os cargos de piloto de avião tiveram por muitos anos, homens sendo escolhidos para preencherem suas vagas. Ainda com exigências de maior raciocínio lógico e resistência física.

Um cargo que hoje em dia vem abrindo as portas para as mulheres, ainda ligada à condução de veículos, é o de piloto de corrida. Que por muito tempo, as equipes possuíam somente pilotos homens para lhes representarem nas corridas.

Um cargo, ligado à polícia, que ainda era dominado por homens, mesmo a introdução de mulheres em seus batalhões era o cargo de delegado de polícia.

Serviços mais braçais, ligados a construção civil, como os de pedreiros e engenheiros civis foram dominado por homens até a inclusão das mulheres em seus processos seletivos. Ou até mesmo na área de manutenção. Eletricistas e mecânicos eram muito comuns encontrar somente homens em suas equipes

Os setores de engenharia por muitos anos foram vistas como uma profissão masculina, afastando a oportunidade para mulheres arriscarem em seus domínios. Mas com o tempo, elas foram mostrando que eram tão capazes quando os homens reduzindo as vagas que só podem ser ocupadas por homens.

Novas regras, novas inscrições.

Talvez por ser um gênero que esta muito mais ligada com o lado sentimental, o sexo feminino demorou em conquistar espaço em outros cargos. Principalmente aqueles que fugiam dos estereótipos de seu gênero e começassem a dominar cargos que antes os homens dominavam.

Desde o momento de abertura para as mulheres se inscreverem para novos tipos de serviços, muitas crises financeiras foram vividas e só o salário do homem não era o suficiente para manter e sustentar uma família.

As mulheres começaram a migrar para diversas outras áreas, sendo elas sem restrições alguma.

Ainda em alguns concursos públicos, se encontrava relutância e preconceito com a inserção de mulheres em vagas que só podem ser ocupadas por homens. Porém, seguindo o conceito do principio da isonomia, que preza pela igualdade e tratamentos justos para os cidadãos muitos editais de concursos públicos acabavam abrindo vagas para mulheres.

Esse conceito de igualdade, citato no Artigo 5º da constituição federal, impede que leis possam ser criadas de maneira que venham a violar o conceito de igualdade perante a lei.

Para auxiliar ainda mais na inclusão feminina nos cargos públicos que tinha homens como a maioria de seus candidatos, muitos órgãos públicos incorporaram em sua constituição vagas exclusivas que deveriam preencher certa porcentagem do total de vagas com mulheres, quebrando ainda mais o conceito de vagas que só podem ser ocupadas por homens.

Hoje em dia, as mulheres representam cerca de 40,8% do mercado de trabalho total e essa diferença tende a ser reduzida com a diversidade e quebra de paradigmas e preconceitos, dando oportunidade de mostrar as pessoas que não existem vagas somente para homens.

Sobre Blog Concursado

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo Blog Concursado que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.