Erros que os concurseiros mais cometem

Tempo de leitura: 6 minutos

Entrar em um cargo concursado é o desejo que praticamente todo brasileiro, isto devido à estabilidade empregatícia, possibilidade de chegar a importantes cargos do Estado e salários acima da média, mas como é algo muito concorrido, é comum alguns ficarem para trás devido a alguns erros na hora dos estudos.

Claro, para quem não possui experiência em uma prova como de concursos que exigem alto grau de conhecimento e disciplina, é comum ter dúvidas de como prosseguir para obter sucesso, como ter uma boa estratégia para absorver o máximo possível de conteúdo com o tempo apropriado. 

São erros muito comuns relacionados a forma como é organizado o tempo de estudo, o tipo de material de estudo, o estresse descontrolado, os critérios avaliados da banca, e assim por diante.

Então, abaixo estão listados os erros mais comuns que podem ser facilmente solucionados e que garantem larga vantagem sobre aqueles que não os segue à risca na hora de se preparar.

Estudar em curto prazo

Por mais que tenha confiança na própria capacidade e inteligência, tenha consciência que uma prova de concurso público envolve centenas de pessoas para uma única vaga e as questões não tendem a ser fáceis.

O ideal, para garantir uma posição segura entre os colocados do concurso é iniciar os estudos um ano antes, sem o edital ter saído ainda, já que os editais costumam sair meses ates dá prova, tempo insuficiente para os estudos. 

Quanto antes estudar, melhor descobrirá quais as dificuldades que possui em determinadas matérias e como fará para supera-las.

Optar por concursos com maiores salários e número de vagas

Técnica que muitos acham que garantem maiores chances de conseguir uma oportunidade no órgão público, porém é um erro frustrante para a pessoa, pois não fará algo que gosta ou possui aptidão.

Escolher uma vaga que realmente deseja, pois acaba sendo uma motivação extra para passar dias e horas estudando as provas do concurso público. Use isto a seu favor e mesmo que seja concorrido com poucas vagas, a chance ainda existirá.

Não ter um planejamento

Estudar aleatoriamente, sem dia, horários e matérias pré-estabelecidos pode ser prejudicial a longo prazo, pois não se cria uma rotina de estudo que acaba sendo muito importante para absorver conteúdo.

Além disso, pode acabar se dedicando mais a determinadas matérias do que a outras e sentir falta destes conteúdos no dia da prova.

Estudar com materiais duvidosos

Diante da ânsia de estudar o máximo possível, com o mais diversificado material de estudo compostos por livros, cursos e videoaulas, é comum alguns concurseiros acabarem se deparando com conteúdos desatualizados e até mesmo errados.

Então tome cuidado com o que está usando como material de estudo, principalmente se houve alguma alteração em algum dos conteúdos que cai na prova, como questões relacionadas a leis e procure fontes confiáveis.

Não ler o edital

Um dos erros mais comuns que ocorrem com concurseiros, já que acham que há informações desnecessárias e redundantes nos editais, porém é um importante papel que apresenta quais serão os critérios de avaliação, quais os itens obrigatórios devem ser apresentados no local (assim como quais são as proibidos) e assim por diante.

É importante anotar datas, locais e demais informações que achar relevantes sobre prazo de avaliação e informações sobre o recrutamento dos candidatos que passarem nas vagas.

Crê que deve estudar a exaustão

Acreditar que deve estudar mais de seis, oito horas por dia ou até mais é uma ideia ilusória que só gerará o esgotamento físico e mental logo quando a data da prova estiver próxima.

O estresse, ansiedade e até a desmotivação acabam se aflorando e prejudicando o desempenho da pessoa. O melhor é estudar poucas horas (duas a três horas) com dedicação e o máximo de aproveitamento possível.

Não simular prova

Como os concursos existem há anos, facilmente encontramos revistas e páginas na internet que disponibilizam provas anteriores para determinados cargos e entidades, mas há pessoas que as ignoram e acham que por serem desatualizadas, não há valor útil na hora dos estudos.

Mesmo tendo provas de edições passadas, elas permitem que o candidato tenha noção do nível de dificuldade das questões e quais são os conteúdos mais exigidos.

Além disso, percebe-se qual o tempo gasto para a realização da prova, e é possível simular com precisão qual o tempo médio preciso para cada questão e preenchimento do gabarito.

Estudar mais as matérias fáceis

Todo mundo tem sua matéria favorita, isto porque ela é mais interessante e acaba sendo mais fácil para estudar, porém, diante de uma prova de concurso público, o candidato não pode se focar apenas nas mais fáceis para ele e esquecer as demais.

Não adianta achar que matemática, conhecimentos gerais ou outra matéria será menos relevante para o cargo que disputa, pois cada pontuação adquirida é uma vantagem a mais sobre algum outro candidato.

Inclusive, as mateiras que têm maior dificuldade e desinteresse devem ser focadas para estar seguro na hora da prova.

Confiar apenas no curso preparatório

Os cursos preparatórios são válidos na hora de se preparar para prestar uma prova de concurso público, porém não vale ser superestimado e acreditar que apenas estudar durantes as aulas serão suficientes para garantir uma vaga.

Cabe a cada candidato estudar por conta própria, revisar conteúdo em casa diariamente, por poucas horas, para garantir a fixação do conteúdo e aprender ainda mais, com materiais além dos disponibilizados no cursinho.

Ignorar o perfil da empresa organizadora

Cada empresa que organiza as provas de concursos públicos possui suas características e modos de avaliação e correção, sendo que uma tende a ser mais difícil do a outra, os perfis das questões são distintos, e a maneira de pontuação também.

Para saber como é o perfil da empresa, é necessário ler sobre seu histórico, observar através dos editais e provas anteriores quais os tipos de questões que caem e a maneira como valida a pontuação, sendo que algumas delas anulam questões corretas quando se erra alguma questão. Fique atento a este detalhe.

Sobre Concurseiro Paulista

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo site Concurseiro Paulista que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.