Crase: domine esse vilão e seja aprovado no concurso público

Tempo de leitura: 6 minutos

Os concursos públicos no Brasil sempre foram muito procurados, e eram opção principal para as pessoas que buscavam estabilidade financeira em suas vidas.

Hoje em dia, devido à crise financeira que o país enfrenta, os concursos estão se tornando mais visados ainda, justamente por oferecer essa estabilidade financeira que em tempos de crise é muito bem-vinda. Para aqueles que desejam prestar concurso, o estudo é indispensável para que se consiga ser aprovado.

Dentre as matérias que devem ser estudadas com afinco a gramática da língua portuguesa é uma das mais indispensáveis.

Na gramática, você estuda as especificidades da linguagem escrita e seus mecanismos. Entre esses assuntos um que mais causa dúvida na cabeça dos concurseiros é a crase. Nesse artigo você vai aprender a dominar a crase para concurso público para conseguir ser aprovado na vaga de sua preferência.

O que é a crase e para que serve?

A palavra crase é a junção de duas letras “A”, sendo um a preposição e a outra um artigo. Isso tudo é expresso através do acento grave, que indica essa junção do artigo com a preposição.

Mas o que é artigo e preposição?

Os artigos são palavra que antecedem os substantivos e que definem o gênero e número do mesmo.

Ex: A professora está dando aula para os alunos.

Nesse caso, o artigo “A” indica que o gênero do substantivo (professora) ao qual se refere é feminino e é apenas uma pessoa. Já o artigo “os” expressa que o gênero do substantivo ao qual faz referência (alunos) é masculino e é plural.

Já as preposições são palavras usadas para estabelecer uma relação entre dois ou mais termos em uma oração, ou seja, estabelece uma relação de conexão entre elementos. Dessa maneira, o sentido da frase depende do uso dos conectivos.

Ex: Ela esperou com entusiasmo o presente.

Se a preposição “com” fosse retirada da frase, esta perderia o seu sentido.

Como usar a crase?

Agora que você sabe como a crase é formada e sabe do que é composta, vamos estudar o seu uso.

Regra geral

O uso da crase obedece inicialmente uma regra geral que afirma que o termo antecedente exija a preposição “A” e o termo consequente aceite o artigo “A”.

Truque: Para descobrir se uma palavra aceita o artigo basta pensar que se for possível usar “da” antes da palavra ela aceita o artigo, se você apenas puder empregar “de”ela não aceita o artigo.

Quando nunca ocorre a crase?

A crase nunca acontece diante de palavras masculinas, verbos, pronomes no geral. Porém, existem 3 pronomes de tratamento que aceitam artigo e consequentemente a crase.

Eles são “senhora”, “dona” e “senhorita”. Além disso, a crase ocorrerá antes de pronomes que aceitam artigo como por exemplo “mesma” e “própria”. Tudo isso deve-se ao fato da crase obedecer a regra geral.

Além disso, a crase não ocorre com expressões repetidas como por exemplo “de ponta a ponta” isso explica-se pois entre expressões desse tipo existe apenas a ocorrência da preposição. A crase também não acontece diante de nomes de cidade, porém, se esse vier acompanhado de um adjunto adnominal, aí sim haverá a ocorrência da crase.

A crase não ocorre também quando um “a”, sem o “s” de plural, aparece antes de um nome plural. Por exemplo, não ocorre crase na expressão “Falei a pessoas”. Porém, se o “a” for seguido de “s” indicando plural, haverá crase, como na frase “Falei às pessoas”.

Quando sempre ocorre crase?

A crase sempre ocorre na indicação pontual das horas, com as expressões “à moda de” e “`a maneira de”, nas expressões adverbiais femininas, que são aquelas que se referem à verbos e expressam condições de tempo, lugar, modo e outros.

Uso facultativo da crase

O uso facultativo é quando você pode usar a crase, mas ela não é 100% necessária. Isso ocorre antes de nomes próprios femininos de pessoas e antes de pronomes possessivos femininos.

Casos especiais

Como na grande parte das matérias da gramática, existem sempre algumas exceções. Com a crase não poderia ser diferente. Com o uso da palavra “casa” no sentido de lar, se esse vocábulo não for acompanhado de adjunto adnominal ela não aceita artigo, portanto não ocorre a crase. Porém, se houver a presença do adjunto adnominal, a crase ocorre.

Outra exceção é a palavra “terra”, no sentido de solo firme, se não for determinada a crase não ocorre, entretanto, se for determinada haverá a crase. Se a preposição “até” for seguida de um nome feminino o uso da crase se torna facultativo, pois essa preposição pode ser empregada sozinha, “até”, ou em locução, “até a”, que nesse segundo caso o termo “a” recebe a crase.

Nos pronomes relativos também ocorrem exceções. Com o uso de “cujo” e “quem” a crase não ocorre, bem como antes de “qual” ou “quais” se o masculino correspondente for” ao qual” ou “aos quais”.

Nos pronomes demonstrativos, sempre que o termo antecedente pedir preposição “a”  e vier seguido de “aquele”, “aqueles”, “aquela”, “aquelas”, “aquilo” a crase acontecerá.

Antes de “que”, geralmente não ocorre a crase, porém pode ser que ela aconteça devido à junção da preposição “a” com o pronome demonstrativo “a”. Esse fenômeno pode ocorrer tanto antes de “que” como de “de”.

Truques

Mas com tanta regra não é sempre que nos lembramos de todas elas. Para isso existe um truque muito simples. Para isso troque a palavra depois da crase por um substantivo masculino. Se depois dessa substituição o “a” se tornar “ao” a crase realmente ocorre.

Estudando a crase para concurso público?

O uso da crase pode ser cobrado de diversas maneiras. Entre elas você pode ter que decidir se uma frase com a crase está correta ou não, apontar os motivos pelos quais a crase foi empregada ou não foi e corrigir a acentuação de uma oração.

Seguindo todas essas dicas, você já deve ter dominado a crase para concurso público. Mas além de conseguir uma boa nota no teste dominar o uso da crase demonstra que você tem um conhecimento melhor do funcionamento da língua portuguesa.

Crase: domine esse vilão e seja aprovado no concurso público
Avalie esta postagem

Sobre Carlos Gusmão

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval. Sou um dos responsáveis pelo site Concursado.org que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.