Como são feitos os exames admissionais?

Tempo de leitura: 6 minutos

Para quem achava que para assumir um cargo público só bastava ser aprovado nas provas, temos uma má notícia: os exames admissionais tem caráter eliminatório e podem reprovar um candidato que não obtiver as qualificações físicas e mentais exigidas.

Cada cargo em um processo seletivo requer aptidões específicas e, por esse motivo, os exames admissionais não formam um padrão. Para toda área de atuação, algumas áreas médicas são avaliadas com mais rigor do que outras.

Se você quer saber como são feitos os exames admissionais nos concursos públicos, leia este artigo até o fim e entenda porque manter a saúde em dia pode ser crucial para a sua carreira.

  1. Afinal, o que são e para que servem os exames admissionais?

De modo geral, os exames admissionais podem ser definidos como os exames médicos exigidos para a posse do servidor público. Esta é uma exigência legal (Lei 8112 de 1990) e deve ser cumprida em todos os processos seletivos de caráter público no Brasil.

Um candidato aprovado nas provas de conhecimento e nos demais testes só poderá ocupar devidamente o cargo pretendido depois de ter sido julgado apto (de forma física e mental) para exercer as atividades descritas no edital de um processo seletivo.

Se for constatado no exame admissional que o candidato não está apto, o mesmo será considerado incapaz de realizar as tarefas que lhe forem atribuídas, sendo considerado, portanto, reprovado.

  1. Os exames admissionais são obrigatórios para todos os cargos?

Sim. Os exames admissionais são obrigatórios para todos os cargos públicos. Entretanto, é preciso deixar claro que os exames não são os mesmos para todas as áreas. Vale ressaltar que, dentro da análise de aptidão física e mental, para alguns cargos também são exigidos exames médicos complementares de caráter mais específicos.

Normalmente, os critérios avaliados nos exames admissionais para concursos envolvem as atividades a serem desenvolvidas pelo profissional avaliado, riscos inerentes ao ambiente de trabalho e outras situações epidemiológicas.

Todo o processo de avaliação médica é acompanhado por profissionais qualificados e, em alguns casos, peritos e especialistas em diversas áreas são ouvidos para servir como base para comprovar os argumentos relacionados à capacidade laboral.

  1. Como são realizados os exames admissionais para concursos?

Depois de ter sido aprovado nas provas, o candidato irá receber o encaminhamento para prestar o exame médico admissional. Esse documento será emitido pelo setor de RH (Recursos Humanos) da empresa ou entidade em questão.

Além do encaminhamento, o candidato também irá receber a devida orientação sobre data, local e horário para prestar os exames. Normalmente, a lista com os nomes de cada candidato fica disponível para consulta no site da organizadora do processo seletivo.

No dia do exame, o candidato deverá comparecer ao local agendado portando cartão de vacina e outros formulários (quando necessário).

De modo geral, os principais exames médicos solicitados são:

  • Hemograma com contagem de plaquetas;

 

  • Exame de urina;

 

  • Glicemia (em jejum);

 

  • TSH e T4 livre (para diagnóstico de hipertireoidismo e hipotireoidismo);

 

  • Videolaringoscopia com laudo descritivo (apenas para candidatos aos cargos de professor);

 

  • Radiografia simples do tórax e eletrocardiograma (ECG) com laudo descritivo (para candidatos com idade de 40 anos ou mais).

 

Assim como outros aspectos relacionados ao processo seletivo, a data limite para convocação dos aprovados estará sujeito à alteração e variação conforme órgão responsável.

3.1 Caso haja dúvidas sobre a saúde do candidato, ele tem direito a apresentar exames complementares?

Em alguns cargos, como os da Polícia Federal e Corpo de Bombeiros, por exemplo, são exigidos uma série de exames médicos mais complexos.

Se por algum motivo houver dúvidas em relação à aptidão do candidato, o concurseiro tem direito a um novo prazo para apresentar exames complementares. Esse prazo e a natureza dos exames irão depender do edital e da instituição responsável pelo concurso em si.

O Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) é liberado ao candidato após a conclusão dos exames e deverá ser apresentado ao RH da instituição como parte dos documentos obrigatórios exigidos para a posse.

  1. Saiba mais sobre os direitos dos concurseiros em processos seletivos

Além dos exames admissionais, o processo seletivo de um concurso público tem outros aspectos que podem ser fundamentais para a aprovação ou reprovação de um candidato.

A seguir, conheça o que pode ser feito legalmente e quais são os principais direitos que a maioria dos concurseiros desconhece.

4.1 Eliminação por idade tem que ser prevista por lei e apresentar relevância

Caso o edital do concurso apresente algum limite de idade, essa exigência deverá ser justificada de forma coerente e com base nas leis previstas naquele estado. Limitar a faixa etária por razões sem sentido é um ato ilegal e que deve ser denunciado.

4.2 Provas físicas não devem ser exigidas para cargos burocráticos

Cargos nas polícias e corpo de bombeiros, que são cargos que de fato exigem um preparo físico maior, precisam de uma avaliação mais completa. Entretanto, para cargos de professores, peritos, redatores ou escrivão, por exemplo, as provas físicas não podem ser estipuladas como obrigatórias.

Da mesma forma, requisitos relacionados à altura e aparência dos candidatos só serão válidos mediante condições extremas e previstas por lei.

4.3 Ter o nome no SPC não elimina o candidato durante a investigação social

Ter o nome na lista do Serviço de Proteção ao Crédito só poderá impedir o candidato de fazer compras, empréstimos ou solicitar financiamentos. Isso quer dizer que isso não é quesito válido para eliminação em concursos públicos.

Apesar de a ideia parecer absurda, muitas empresas públicas do Brasil tem extrapolado em suas exigências e nos limites das investigações sociais.

Atenção ao edital faz toda a diferença!

Não custa nada repetir que ficar atento a possíveis mudanças no edital é fundamental para todos os candidatos. O documento trará todas as orientações necessárias e, por meio dele, você saberá como se preparar melhor para os testes que será submetido.

Leia, fique atento e não deixe tudo para a última hora! Os prazos costumam ser inflexíveis e você poderá perder uma boa oportunidade ao menor deslize.

Sobre Concurseiro Paulista

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo site Concurseiro Paulista que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.