6 benefícios que o trabalhador concursado tem

Tempo de leitura: 6 minutos

Ser um trabalhador concursado é o sonho de muita gente. Ao menos 12 milhões de pessoas se inscrevem todos os anos para cerca de 80 mil vagas abertas pelos editais por todo o Brasil.

Isso dá um número de mais de 150 concorrentes para cada vaga disponível – número que ultrapassa os vestibulares das faculdades mais concorridas do país para o curso de medicina, que continua sendo o curso com mais disputado pelos estudantes.

Mas o que faz os números serem tão altos e continuarem subindo todo ano?

Muita gente acaba fazendo concursos observando apenas os salários anunciados, ou o fato de ser uma carreira estável, que é cada dia mais difícil conseguir em um trabalho em empresas privadas.

Porém, as vantagens vão muito além disso. Os benefícios de ser concursado são inúmeros, seja em cargos federais, estaduais e até municipais.

Listamos algumas das vantagens em ser um trabalhador concursado

Quais as vantagens de ser um funcionário público?

1 – Equidade na concorrência

Como já falamos aqui, passar em um concurso público não é fácil já que as vagas são bastante concorridas.

A grande vantagem é que você não precisa contar com o “fator sorte”, ou até mesmo com o QI como nos cargos privados.

Dedicação aos estudos é imprescindível, e é normal que o candidato tenha que fazer várias provas para conseguir a tão sonhada aprovação.

Mas também tem que se levar em consideração que qualquer pessoa que preencha os requisitos mínimos vai concorrer igualmente, sem distinção de raça, gênero ou classe social.

Essa equidade de oportunidades tornam os concursos ainda mais interessantes.

Principalmente para quem quer ter um primeiro emprego e se firmar no mercado logo de cara, já que nenhum concurso exige algum tipo de experiência anterior na função – só conta como quesito de desempate em algumas áreas.

2 – Salário

Outro benefício que chama atenção quando o assunto é um cargo no setor público é o salário.

No setor privado, os salários dependem da situação econômica do país e correm o risco de serem reduzidos em momentos críticos – coisa que não acontece em cargos federais, estaduais e municipais.

Além disso, há uma enorme diferença entre os setores nos valores dos salários pagos.

Um jornalista que trabalha para uma empresa de mídia impressa ou eletrônica privada com uma carga horária de cinco horas tem o piso salarial de um pouco mais de dois mil reais.

Já vagar disputadas no Supremo Tribunal Federal em 2013, com a mesma carga horária, tinha um salário de mais de sete mil reais por mês.

3- Adicionais de salários e licenças 

A média salarial de um servidor concursado é maior do que a de um trabalhador do setor privado.

Além disso, muito mais difícil o funcionário sofrer com atrasos de salários – acontece, inclusive, a o contrário: dias de pagamentos que caem em feriados ou finais de semana muitas vezes pagos antes do dia estipulado.

Também não se deve esquecer dos benefícios em dinheiro pagos que se somam ao salário base. Existe, por exemplo, a retribuição pelo exercício de função de chefia, gratificação natalina, adicional por atividades insalubres, adicional por tempo de serviço, pela prestação de serviços extraordinários, adicional noturno, de férias e horas extras.

4 – Estabilidade

O Brasil passa por uma crise, e isso reflete na população: o país já tem mais de 10 milhões de desempregados – e esse número tende a subir cada vez mais.

Notícia de demissões em massa por industrias e fábricas aparecem na mídia a todo momento.

Coisa que não acontece no setor público.

Antes de atingir a estabilidade, o servidor passa por um período de três anos chamado de Estágio Probatório, onde é avaliado. O Estágio probatório funciona como a experiência no setor privado.

Após esse período, se tudo correr bem, o funcionário é efetivado e ganha estabilidade, o que significa que ele não pode ser mandado embora por outro motivo que não seja justa causa.

O servidor só perde o cargo se for acusado, julgado e considerado culpado em um processo administrativo ou sindicância.

Esse é, sem dúvida o principal atrativo para a maioria dos concurseiros.

A estabilidade é um mecanismo de proteção ao funcionário, que continua no quadro de servidores mesmo com trocas de governo e mudanças nas leis trabalhistas.

No setor privado, os trabalhadores podem ser demitidos a qualquer momento e sem qualquer justificativa, tendo que contar somente com benefícios como o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o seguro desemprego.

Crises econômicas tendem a aumentar a procura por cargos públicos principalmente pela tranquilidade que a estabilidade trás.

5 – Jornada de trabalho menor e mais flexível

Existe uma carga horaria padronizada de 6 horas para grande parte dos cargos públicos – uma diferença de até 4 horas em comparação com um serviço em uma fábrica.

Licenças não remuneradas também podem ser tiradas para tratar de assuntos particulares como doenças ou problemas na família. O servidor tem direito de se manter afastado até 2 anos, podem voltar quando desejar.

Também existem licenças especiais para os funcionários que querem fazer cursos, graduações, pós-graduações, mestrados ou doutorados.

Além disso, existe a Licença Prêmio: São três meses de férias concedidos a cada cinco anos trabalhos.

6- Aposentadoria Integral

As aposentadorias da iniciativa privada são limitadas ao teto de cerca de cinco mil reais – independente de qual foi o salário do contribuinte ao longo da sua vida.

Já nos cargos públicos é permito por lei que a aposentaria seja integral: o servidor segue recendo o mesmo valor que recebia mensalmente enquanto trabalhava.

Além disso, ainda fica livre para voltar ao mercado de trabalho ou prestar novos concursos e continua recebendo a aposentadoria integral e o salário do nome emprego

Por esses motivos, dá para perceber que os benefícios não param só na famosa estabilidade. Um funcionário público tem imensas vantagens em cima de uma da iniciativa privada, e por isso concursos estão ficando cada vez mais concorridos.

A questão é colocar na balança se vale a pena se aventurar no universo dos concursos – e pelos motivos mostrados aqui, a resposta fica bem evidente.

Sobre Concurseiro Paulista

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo site Concurseiro Paulista que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.