4 Cargos que você não fazia ideia que precisa prestar concurso público

Tempo de leitura: 6 minutos

Hoje em dia, os concursos públicos estão em alta. São muitas as pessoas que conhecem as oportunidades que os órgãos públicos oferecem. Envolvem questões relacionadas a autorrealização das pessoas, que desejam ocupar um determinado cargo que sempre sonhou em desempenhar as funções inerentes.

Outras pessoas estão concorrendo a essas vagas para conseguir a segurança oferecida aos servidores públicos que já é popularmente conhecida. Um bom salário comparado a faixa salarial oferecida pelas empresas privadas pelo desempenho das mesmas ações, a estabilidade profissional que se pode conseguir, além de outros benefícios oferecidos pelo Estado.

A verdade é que existe uma série de carreiras que podem ser levadas no âmbito público, mas as pessoas parecem desconhecer todas essas opções existentes. Os cargos mais conhecidos são também aqueles mais disputados, o ingresso em alguma corporação policial, bancos, hospitais e áreas jurídicas.

Esses cargos são mais difundidos porque o conhecimento das vagas públicas são eram melhor difundidas em famílias onde já existiam servidores e sempre que citavam o serviço ao Estado, projetavam o seu filho como um ocupante um cargo de alta representatividade social.

Porém, buscar apenas esses cargos tidos como grandes faz com que as pessoas desconheçam inúmeros outros cargos públicos existentes, opções que podem se mostrar extremamente interessante. Traremos em seguida alguns dos cargos que você, certamente, desconhecia a necessidade de realização de concurso público.

Merendeira

Essa é uma das profissões que para exercer é preciso passar pelo concurso público. Esse concurso é oferecido para pessoas que tem o ensino fundamental completo, baixa escolaridade. Embora muitas pessoas com ensino médio e superior também se inscrevam para exercer determinados cargos desse nível.

Quanto ao caso especifico de merendeiras, o salário pode se diferenciar de acordo com a prefeitura, cada município paga uma quantia. É um dos casos em que trabalhar para o Estado pode ser bem mais a vantajoso que trabalhar para uma empresa privada.

A principal função da merendeira é manter a devida organização da cozinha para que não haja problemas de funcionamento, além de preparar e servir a merenda. Ela atua nas cozinhas das escolas e deve servir os pratos para as crianças sempre nos horários adequados que, geralmente, são pré-determinados por especialistas da área da saúde.

Existem padrões de higiene e que dizem respeito a própria preparação da comida que devem ser seguidos por essas profissionais.

Ela faz a limpeza da cozinha e deve ficar atenta a organização, pois não pode desrespeitar os horários de alimentação das crianças.

Telefonista

Para exercer a função de telefonista em algumas prefeituras, escolas, hospitais, etc., é preciso que as pessoas sejam aprovadas em concursos públicos também. Diferente do cargo de merendeira, para exercer essa função o candidato deve ser forma no ensino médio.

É um cargo que muitas pessoas desconhecem os critérios de seleção. Muita gente nunca concorreu à vaga no certame, simplesmente, por não saber de sua existência. Mas, os que conhecem o cargo se inscrevem, pois, comparado à média salarial praticada no mercado privado, esta é uma vaga pública que remunera muito bem.

A função desse profissional é estabelecer a conexão entre a comunicação externa, interna ou interurbana do local. Ele é responsável por fazer a análise de todas as ações pertinentes aos serviços de telefonia.

Faz relatórios de controle onde constam informações referentes ao tempo de duração de uma ligação ou quanto fazer essa ligação custou aos cofres públicos. Anota os recados deixados para determinadas pessoas para depois passar aos interessados.

Ele também é responsável por informar todo e qualquer problema que surgir com os equipamentos telefônicos. Quando isso ocorrer, o seu papel é fazer a solicitação do conserto, além de estar sempre propondo manutenções para que os problemas ocorram com menor frequência possível.

O telefonista deve garantir que o equipamento tem totais condições de uso, para garantir o perfeito funcionamento e não comprometer as atividades inerentes à instituição em que trabalha.

E, por fim, cria relatório para descrever com detalhes todas as tarefas que foram feitas seguindo as ações que foram solicitadas pelos seus superiores.

Auxiliar administrativo

Essa é uma das profissões que mais emprega no Brasil. Todas as empresas costumam ter, pelo menos, um auxiliar administrativo, o que deveria fazer com que as pessoas compreendessem facilmente a eminência de também haver muitas vagas para esse cargo nos entes públicos. Porém, as pessoas parecem não criar tal relação em suas mentes.

Para exercer a função em empresas privadas, muitas vezes, as pessoas precisam passar por um recrutamento bem mais facilitado do que os precisam passar pelo concurso público. Para desempenhar o papel de auxiliar administrativo nas empresas, em alguns, casos sequer é preciso um curso de qualificação ou capacitação.

E para exercer essa função em um órgão público as pessoas precisam ser formadas no ensino médio e, claro, ser aprovadas em concurso público. Outra profissão que, em âmbito público, tem melhor remuneração do que a média salarial praticada pelas organizações privadas. 

O auxiliar administrativo é aquele profissional que ajuda, em qualquer atividade que seja necessária, quem administra a instituição. Ele ajuda também nas funções financeiras e logísticas e organiza arquivos, quando está ligado às funções de recursos humanos.

Suas funções financeiras estão, geralmente, ligadas a exercer um controle entre o pagamento e recebimento das contas.

Além disso, esse profissional precisa ser muito comunicativo e ter boa capacidade de interagir com pessoas. Ele terá comunicação intensa com seus colegas de trabalho, além de atender o público.

Vigilante

O vigilante desempenha o papel de controlar o fluxo de entrada e saída de algum órgão público, logo, ele tem responsabilidade sobre a segurança das pessoas que estão dentro ou nas proximidades da instituição.

A função de vigilante não exige escolaridade avançada. Nesse caso, existem instituições que possibilitam a realização da prova por pessoas que sequer terminaram o ensino fundamental.

Geralmente, durante a realização de provas para exercer cargo com nível fundamental completo ou incompleto, o candidato terá que responder uma média de 30 questões, que não costumam ser muito complicadas e, muitas vezes, dizem respeito a questões éticas e morais no ambiente de trabalho.

Sobre Concurseiro Paulista

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo site Concurseiro Paulista que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.